DocumentosOnline Button

BENEFICIAÇÃO DA SEDE DA FILARMÓNICA RECREIO RIBEIRENSE, DE SANTA CRUZ, RIBEIRAS

discurso presidenteIntervenção do Presidente da Câmara Municipal das Lajes do Pico, Roberto Silva, na cerimónia de inauguração das obras de beneficiação da Sede da Filarmónica Recreio Ribeirense, de Santa Cruz, a 3 de Fevereiro de 2013.

 "A Filarmónica é um pilar fundamental da vida da nossa comunidade. A Filarmónica é música, a principal arte do nosso povo. A Filarmónica é um fenómeno social, porque promove a educação dos mais jovens, o convívio e a partilha de experiências entre gerações, a expressão da paixão e da inteligência musical. A Filarmónica é organização, dedicação, sacrifícios. A Filarmónica ocupa-nos o coração, preenche-nos o espírito, abrilhanta os rituais sociais. A Filarmónica é a nossa viagem para fora da ilha, o nosso sonho, a expressão mais elevada da cultura do povo do Pico e muito em especial da freguesia das Ribeiras que tem duas filarmónicas. A Filarmónica, que é união, recreio e brio, talha o desenvolvimento da nossa comunidade.

A música da Filarmónica assenta em sons, tempos e silêncios, mas por estes tempos, nesta remota freguesia das Ribeiras, no sul do Pico, inserida no mais remoto concelho açoriano, promovido a décima ilha açoriana depois das scuts, pretendemos que o Governo dos Açores considere esta freguesia, esquecida pelos poderes das brumas da política desta ilha, de duas costas, uma prioridade nos seus investimentos neste concelho, porque as Ribeiras são a segunda freguesia do concelho das Lajes do Pico, em população e em área, porque as Ribeiras têm o único porto no sul do Pico, porque as Ribeiras têm um passado glorioso na escrava aventura da baleação, porque as Ribeiras foram a universidade da pesca do atum, porque são um marco inabalável no culto do Divino Espírito Santo, porque têm uma atividade pecuária notável que compreende uma importante fábrica de queijo.

Nesta freguesia, a Câmara Municipal tem ajudado a manter o bom estado de conservação do património construído, a saúde financeira das suas associações, bem como as atividades que cada associação desenvolve, desde o Arrife à Ribeira Grande, junto ao mar ou perto da serra, prosseguindo com o mesmo respeito por todos, seja melhorando o abastecimento de água a toda a freguesia ou asfaltando caminhos nos exóticos lugares da Ribeira Seca e Pontas Negras, seja criando uma magnífica zona de urbanização na frente marítima entre Santa Cruz e Santa Bárbara, sem esquecer as promessas que ainda não conseguimos cumprir, como o Museu do Divino Espírito Santo e a construção do pavilhão.

Gostamos dos sons das obras e da vida que elas alimentam, como as que aqui contemplamos neste salão de Santa Cruz, situado numa vila que é a nossa Suíça do Pico, onde sentimos os sons de um povo brioso, asseado e organizado, um exemplo para todos nós, um povo que marca o seu prestígio no tempo presente com a marca número um na Nação Portuguesa no voleibol feminino, e que acalentava o sonho de acabar a sede da sua Filarmónica Recreio Ribeirense.

E eis-nos, contrariando as aves agoirentas de serviço, cada vez mais embuchadas com a falta de silêncios nas obras promovidas pela Câmara, a inaugurar as obras de beneficiação da Filarmónica Recreio Ribeirense, depois da Filarmónica Liberdade Lajense, Filarmónica União Musical da Piedade e Filarmónica União Ribeirense, onde investimos, no conjunto das 4 filarmónicas, cerca de 1,5 milhões de euros, num tempo de dificuldades financeiras, ajudando, neste caso, a concretizar o sonho de várias gerações de ribeirenses, quantos emigrados noutras latitudes longínquas e que ficariam arrepiados, tal como nós, com a beleza deste salão.

Neste momento tão especial para esta comunidade de Santa Cruz e para todos os ribeirenses, quero prestar uma justa homenagem a quem colocou com sacrifício todas as pedras desta Filarmónica, aos antigos e atuais sócios, dirigentes, maestros e músicos da Recreio Ribeirense, e bem assim às mulheres desta terra, deixando uma palavra de reconhecimento muito especial ao atual presidente da Direção, José Dinis Tomé, e ao presidente da assembleia geral, o amigo Mário Tomé, que colocaram a última pedra nesta Filarmónica e, mais importante que tudo, a mantêm viva.

Sinto-me, pois, muito feliz, por ter podido ajudar a concretizar este sonho, proporcionando outras condições de uso do edifício-sede da Filarmónica Recreio Ribeirense, aos sócios, maestro, músicos, dirigentes e a todas as pessoas desta comunidade de Santa Cruz e da freguesia das Ribeiras, que ficam com um salão de altíssimo nível, capaz de receber, ainda com maior distinção, todos os tipos de eventos relacionados com o Divino Espírito Santo e outras festividades religiosas, regatas baleeiras, bailes de Carnaval, atividades da associação feminina, entre outros.

Neste dia, que sei ter um especial significado para o Vereador Mário Tomé, quero deixar-vos a mensagem de sempre: é assim que gostamos de trabalhar, para todos, em especial para aqueles que, também por amor à nossa terra, sonharam ter uma Sede da Filarmónica Recreio Ribeirense à altura do povo de Santa Cruz: um espetáculo!

Bem hajam todos os que ajudaram a transformar este sonho em realidade.

Viva a Filarmónica Recreio Ribeirense de Santa Cruz!"


Simple Picture Slideshow:
Could not find folder /home/cmlajesd/public_html/conteudo/dinamico/artigos/galerias/Imagens/Artigos/2013/feveiro/recreio

 

Get a better hosting deal with a hostgator coupon or play poker on party poker
Câmara Municipal das Lajes do Pico, Rua de São Francisco, Convento de São Francisco, 9930-135 - Lajes do Pico. Telefone: 292 679 700 Telemóvel: 91 090 31 89